Taxa de juros efetiva: o que é e como funciona?

A taxa de juros efetiva, apesar de ser menos comentada, tem grande aplicação, sobretudo no mercado financeiro.

Por isso, é indispensável entender do que se trata a taxa de juros efetiva e qual a sua real implicação para os investimentos.

Sabemos que os juros compostos são indispensáveis para compreender os investimentos. Como a taxa de juros efetiva deriva desse tipo de juros, devemos compreender ela mais a fundo.

O que é taxa de juros efetiva?

Taxa de juro efetiva é a taxa de juros expressa em um período igual ao da formação e incorporação de juros sobre o capital.

Portanto, se você investe em um título de juros semestrais, como alguns do tesouro direto, a taxa efetiva será expressa no mesmo período em que os juros incidem sobre o seu capital.

Esse conceito é extremamente importante, principalmente quando tratamos dos juros compostos, caso mais comum no mercado financeiro.

A taxa efetiva pode ser convertida em taxa de juros equivalente. Em um título de capitalização anual, por exemplo, temos uma taxa efetiva anual, que pode ser expressa através de taxas de juros equivalentes semanais, mensais ou semestrais.

Diferença entre taxa de juros nominal e efetiva

taxa de juros efetiva

Apenas conhecendo a definição de taxa de juros efetiva, é possível que não tenha ainda ficado clara a diferença entre taxa de juros nominal e efetiva.

Compreender isso é fundamental para a utilização dessas ferramentas poderosas da matemática financeira.

A taxa de juros nominal é aquela que normalmente expressa o resultado dos investimentos e valores dos empréstimos, entre outras operações do mundo financeiro.

Isto porque, dentro da taxa de juros nominal está incorporado a inflação do período em questão.

Portanto, se você adquiriu um empréstimo de R$1000 e, após 6 meses, teve que pagar o valor de R$1300,  dizemos que a taxa de juros nominal foi de 5% ao mês.

Mas como seria o mesmo exemplo se, ao invés de taxa de juros nominal, buscássemos conhecer a taxa efetiva?

Bom, certamente podemos dizer que a taxa efetiva é a de 30% por semestre. Mas, como dito anteriormente, a taxa de juros efetiva é importantíssima  quando levado em consideração o conceito de juros compostos.

Isto ocorre porque, levando em consideração o caso de juros compostos e uma taxa de juros nominal de 5% ao mês, teríamos no final de um semestre (seis meses), o valor de aproximadamente: R$1.300.

Para encontrar o verdadeiro valor do juros incidido mensalmente, de acordo com os juros compostos, devemos encontrar a taxa de juros efetiva equivalente ao mês.

Neste caso, acharíamos que a taxa efetiva equivalente para cada mês seria de aproximadamente 4,5%.

Com esse valor do juros, após 6 meses de incidência mensal sobre R$1.000, chegaríamos no valor previamente descrito de aproximadamente R$1.301 (levando em consideração os juros compostos).

Ou seja, não seria 30%, mas sim, um total de 23,14% sob o valor de R$1000 ao final dos seis meses.

Cálculo da taxa de juros efetiva?

Você pode ter entendido a intuição descrita anteriormente, mas não ter compreendido bem o cálculo executado.

Por isso, é importante conhecer o cálculo da taxa efetiva e equivalente.

Para que você compreenda de uma vez por todas o cálculo da taxa de juros efetiva, vale a pena acompanhar outro exemplo.

Se dizemos que um investidor aplicou R$1000 a uma taxa de juros de 30% ao ano em um regime de capitalização mensal, quanto será que foi seu rendimento?

Se você respondeu R$1300, infelizmente pensou na resposta errada. Isto porque, a taxa efetiva, neste caso, seria de 30%/12, ou seja, 2,5%.

A resposta correta seria, então, aproximadamente R$1344,88, levando em consideração a taxa efetiva de 2,5% ao mês.

Como este conceito auxilia o seus investimentos?

Para simplificar as complexas contas do mercado financeiro, normalmente, são utilizados termos na forma nominal.

Por exemplo, ao adquirir um título do tesouro, um CDB, ou outro investimento de renda fixa, a taxa que será demonstrada se trata da taxa de juros nominal.

No entanto, para conseguir realizar cálculos com exatidão, o conceito de taxa de juros efetiva é indispensável.

Principalmente quando falamos em casos de pessoas com grandes patrimônios, erros de cálculo percentual podem representar grandes prejuízos financeiros.

Por conta disso, para avaliar investimento, sobretudo investimentos de renda fixa com diferentes períodos de capitalização ou de remuneração, o conceito de taxa de juros efetiva é importantíssimo.

A matemática financeira, em geral, é uma ferramenta imprescindível para quem quer realizar bons investimentos.

Por isso, vale muito a pena se aprofundar no conceito de taxa de juros efetiva e vários outros termos da matemática financeira que podem te ajudar a cuidar melhor dos seus recursos.

 

Diversificando

Diversificando

O brasileiro é famoso por "não investir”, não sair da zona de conforto, guardar dinheiro na poupança, ou de fazer somente o que o gerente recomendou. Estamos aqui para provar o contrário e ainda fazer isso diversificando!
Diversificando

Diversificando

O brasileiro é famoso por "não investir”, não sair da zona de conforto, guardar dinheiro na poupança, ou de fazer somente o que o gerente recomendou. Estamos aqui para provar o contrário e ainda fazer isso diversificando!
Compartilha aí
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
NÃO PARE AQUI
DEIXE O SEU COMENTÁRIO
Share on facebook
Share on pinterest
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
Share on print