Investimentos: saiba como investir diversificando bem

Com certeza, você deve saber que os investimentos são muito importantes para o desenvolvimento financeiro das pessoas.

Contudo, é possível que você não entenda muito sobre os investimentos, e com isso, fica difícil saber qual a melhor estratégia a ser adotada e em quais ativos você deve investir.

Bom, é um fato que uma das melhores estratégias, sobretudo para os investidores comuns que estão começando, é diversificar os investimentos.

Mas, para entender como aplicar a diversificação nos investimentos, é necessário entender o que de fato são os investimentos e quais são as opções disponíveis para o investidor.

O que são investimentos?

investimento

Definir exatamente o que são investimentos não é uma tarefa tão simples.

No entanto, basicamente, é possível dizer que investimentos são aplicações e gastos visando lucro futuro.

Claro, existem diversos tipos de investimentos, variando em relação a 3 principais características.

  • Segurança: nível de risco da aplicação;
  • Liquidez: facilidade ao qual o ativo financeiro é convertido em dinheiro;
  • Rentabilidade: retorno obtido a partir do capital aplicado.

Portanto, de acordo com as preferências do investidor, é possível compor uma carteira de investimentos com as características desejadas.

Mas, para isso, é importante conhecer um pouco mais as fundo os principais investimentos disponíveis no mercado financeiro nacional.

Tipos de investimentos

Se você tem alguma familiaridade com o mundo dos investimentos, já deve ter ouvido falar em renda fixa e renda variável.

Esses são os 2 principais grupos que agregam as diversas opções de investimentos que temos aqui no Brasil.

Portanto, é importante entender um pouco mais a fundo o conceito de renda fixa e de renda variável e as diversas opções de investimentos que compõem esses grandes grupos de aplicações.

Renda fixa

Os investimentos de renda fixa são aqueles que são conhecidos por ter uma rentabilidade previsível, o que traz uma alta segurança para o investidor.

Os títulos de renda fixa são referenciados por indicadores financeiros, como a Selic, CDI e até o índice de inflação IPCA.

Por isso esses investimentos são ditos fixos, já que sua rentabilidade é uma porcentagem de algum destes índices.

Contudo, existem diferentes tipos de renda fixas. Conheça todos eles:

  • Títulos pré-fixados: rendem a uma taxa fixada no ato de compra do título de renda fixa;
  • Títulos pós-fixados: esses títulos são corrigidos à taxa corrente do mercado. Portanto, se a Selic sobe, por exemplo, sua rentabilidade também será maior;
  • Títulos híbridos: possuem características compartilhadas dos títulos pré e pós fixados.

Os vários investimentos de renda fixa variam entre as 3 formas de rentabilidade listadas acima.

Entre os principais investimentos de renda fixa, estão:

  • Títulos do tesouro nacional (Tesouro Selic, Tesouro IPCA+, entre outros);
  • LCI (Letra de Crédito Imobiliário);
  • LCA (Letra de Crédito do Agronegócio);
  • CDB (Certificado de Depósito Bancário)
  • Debêntures;
  • Fundos DI e fundos de renda fixa.

Renda variável

Diferente dos investimentos de renda fixa, a renda variável não possui previsibilidade relacionada a rentabilidade da aplicação.

Normalmente, esses investimentos são considerados mais arriscados, por outro lado, possuem um potencial de rentabilidade maior.

Os principais investimentos de renda variável são:

  • Ações: pequenos “pedaços” de empresas. Ao comprá-las, o investidor torna-se sócio da empresa, podendo lucrar com a valorização do negócio e com a distribuição de lucro;
  • Fundos de investimentos: carteiras de investimentos geridas por gestores especializados com recursos de diversos investidores;
  • ETF’s: também conhecidos como fundos de índices, buscam replicar o resultado de algum índice, como o IBOVESPA;
  • Imóveis: possível investir adquirindo imóveis diretamente ou através de fundos imobiliários.

Apesar de serem considerados mais arriscados, é possível analisar bem os investimentos de renda variável, escolhendo ativos com alto potencial de retorno no longo prazo.

É muito importante destacar que, na grande maioria das vezes, a renda variável é mais indicada para objetivos de longo prazo.

O que é a diversificação de investimentos?

investimentos

Diversificar investimentos significa compor uma carteira com diferentes tipos de ativos.

O objetivo da diversificação é personalizar os investimentos de acordo com as preferências e necessidades do investidor.

Entre as principais vantagens da diversificação dos investimentos, estão:

  • Maior segurança nas aplicações;
  • Potencialização dos ganhos;
  • Maior equilíbrio e diversidade.

Por que diversificar seus investimentos?

Apresentado às duas grandes categorias, você pode achar que será necessário decidir investir em uma em detrimento da outra.

No entanto, uma importante estratégia para ter sucesso nos investimentos é a diversificação.

Pessoas menos propensas ao risco (conservador), tendem a ter uma carteira de investimento mais direcionada para renda fixa.

Já os com menos aversão ao risco, tendem a investir uma maior parte dos seus recurso na renda variável.

Claro, como dito antes, não só a disposição em relação ao risco é importante para a formação da carteira.

A liquidez e a rentabilidade também são pontos levados em consideração pelo investidor na hora da diversificação.

Por isso, não é possível definir uma única carteira de investimento ideal, já que cada indivíduo tem sua própria personalidade, preferências e necessidade de disponibilidade de recursos.

Mas, entender a diversificação e como ela pode ser feita, é muito importante para todos os investidores.

Para isso, é importante que o investidor entenda mais profundamente como diversificar investimentos, analisando separadamente o caso da renda fixa e da renda variável.

Lembrando que é importante ter os dois tipos de aplicação na sua carteira, já que cada um pode ser utilizado para diferentes objetivos e necessidades.

Diversificação na renda fixa

Como apresentado anteriormente, existem diferentes títulos de renda fixa, alguns pós, pré-fixado e híbridos.

Cada um desses investimentos pode ser usado para diferentes finalidades.

Os títulos pós fixados, como o Tesouro Selic, são considerados os mais seguros, acompanhando sempre a Selic, taxa básica de juros nacional. São títulos interessantes para o investidor construir uma reserva de emergência, não representando muito prejuízo em retiradas antes do prazo do título.

Os híbridos são interessantes para proteger o recurso do investidor da corrosão da inflação. Também podem exercer a função de reserva de emergência do investidor.

Já os pré-fixados, apresentam maior possibilidades de retorno, já que há a possibilidade de lucrar mais com a marcação a mercado.

Basicamente, se o investidor adquirir um título referenciado na Selic quando ela era 6%, por exemplo, pode ter seu título valorizado em casos de redução na Selic, já que seu título estará entregando retornos a cima da atual taxa de juros de mercado.

Diversificação renda variável

A diversificação na renda variável ocorre de uma forma um pouco diferente.

Como a maioria dos investimentos são direcionados para o longo prazo, o papel do investidor para diversificar na renda variável é fazer a gestão do risco das aplicações.

Nesse caso, é muito importante diversificar em relação ao setor econômico em que o ativo está envolvido, principalmente para as ações.

Caso você invista em fundos de investimentos ou ETF’s, a diversificação já faz parte do próprio investimento, o que é ótimo para o investidor.

No entanto, caso você deseje investir em ações, é muito importante diversificar em relação ao setor.

É possível que um setor vá mal enquanto a economia como um todo vai bem, ou vice-versa.

Diversificando, o investidor diminuí o efeito do risco associado aos setores econômicos.

Como montar uma carteira de investimentos?

No processo de construir a sua carteira ou portfólio de investimentos é muito importante se conhecer como investidor.

Por isso, busque saber de qual perfil de investidor você mais se aproxima, desta forma, entenderá mais facilmente a melhor composição para sua carteira.

É muito importante voltar para a questão de que não existe uma carteira ideal.

Tudo vai depender das suas preferências e das suas necessidades financeiras ao longo do tempo.

Por isso, é muito importante pensar sobre a diversificação assim que você começar a investir.

Normalmente, para a maioria das pessoas, o recomendado é começar montando uma reserva de emergência com títulos de renda fixa seguros e de alta liquidez.

Após ter uma reserva confortável, o investidor pode começar a construir uma carteira de investimento direcionada para o longo prazo.

Conclusão

É interessante que o investidor saiba, desde do princípio, que não se deve buscar soluções de enriquecimento rápido no mundo dos investimentos.

Investidores comuns devem focar em estar sempre aportando, aumentando gradualmente os aportes e buscando diversificar as aplicações da melhor maneira possível.

Dessa forma, é possível ter sucesso no mundo dos investimentos, garantindo uma construção de um patrimônio sólido e rentável.

 

Diversificando

Diversificando

O brasileiro é famoso por "não investir”, não sair da zona de conforto, guardar dinheiro na poupança, ou de fazer somente o que o gerente recomendou. Estamos aqui para provar o contrário e ainda fazer isso diversificando!
Diversificando

Diversificando

O brasileiro é famoso por "não investir”, não sair da zona de conforto, guardar dinheiro na poupança, ou de fazer somente o que o gerente recomendou. Estamos aqui para provar o contrário e ainda fazer isso diversificando!
Compartilha aí
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
NÃO PARE AQUI
DEIXE O SEU COMENTÁRIO
Share on facebook
Share on pinterest
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
Share on print